Foto Rose May 2.jpg

ROSE MAY CARNEIRO

Fotógrafa, Cineasta, Professora Adjunta e Coordenadora de Extensão da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB), além de pesquisadora do grupo Narrativas e Experimentações Visuais. Possui bacharelado em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), mestrado em Comunicação e Processos Culturais (UnB) onde estudou o mito da marginalidade no filme O Bandido da Luz Vermelha. Fez o doutorado na linha Imagem & Som (FAC/UnB) com uma pesquisa sobre viagem, identidade e incomunicabilidade nos road movies de Wim Wenders. Atualmente, leciona, no curso de Audiovisual, as seguintes disciplinas: Documentário 1, Cinema Brasileiro e Seminários de Direção de Fotografia. 

APRESENTAÇÃO:
No decurso do tempo, a fotografia, o cinema e o devir

No Decurso do Tempo (“Im lauf der zeit” – 1976), dirigido por Wim Wenders, trata-se do meu filme-objeto. Esse filme socrático, de quase três horas, faz parte do início da sua carreira e, ao mesmo tempo, encerra a sua trilogia on the road que o tornou conhecido mundialmente. Filmes de estrada são metáforas óbvias dos rumos da vida e sutis quando se trata sobre a transitoriedade do universo das imagens e toda a incomunicabilidade que estamos vivendo.
Para pesquisadores, imagens são instrumentos. Por isso, com o objetivo de compreender a experiência do cinema e os reflexos dessa linguagem em nosso cotidiano, precisei entendê-lo como uma linguagem estética, poética ou musical, com uma sintaxe e um estilo próprio.
Na busca de uma possível correlação entre imagens, viagens e identidade, busquei analisar aquilo que Wim Wenders propõe: o sentido para uma vida está no decurso e não necessariamente no seu início ou fim. Nada mais filosófico e existencial do que pensar esse filme por meio da arqueologia do cinema (Thomas Elsaesser) e todo um passeio poético que perpassa a fotografia, o instantâneo, o fílmico e os seus devires.

PORTFÓLIO

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom